Quem somos

Equipe

alexandre-ferreira
Alexandre Ferreira Oliveira

CRMMG 28109

Formado em Medicina em dezembro de 1994 pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Residência médica em Cirurgia Oncológica pelo Instituto Nacional do Câncer no período de 1997 a 2000.

Residência médica em Cirurgia Geral pelo Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora no período de 1995 a 1997.

Doutor em cirurgia pela USP 2005.

Chefe do serviço de oncologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Professor adjunto 3 e coordenador da disciplina de oncologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Coordenador do departamento de cirurgia oncológica da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC) 2015 – 2018.

Membro do comitê permanente da prova de especialista em cirurgia geral do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC) desde 2012.

Referência brasileira para sarcoma de partes moles da World Federation Of Surgical Oncology Societies (WFSOS)  desde 2008.

Acesse o Currículo Lattes aqui.

eliel
Eliel Oliveira de Araújo

CRM

Possui graduação em Medicina pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia entre 2015 e 2011.

Formação em Cirurgia Geral pela Universidade Federal da Bahia no Hospital Universitário Professor Edgard Santos entre 2013 e 2015.

Formação em Cirurgia Oncológica pela Fundação Antônio Prudente no Hospital AC Camargo Cancer Center entre 2015 e 2018.

Atualmente é cirurgião geral da Prefeitura Municipal de São Paulo e Prefeitura de Juiz de Fora e atua como Cirurgião Oncológico

Acesse o Currículo Lattes aqui.

frederico-resende
Frederico A. M. de Resende

CRMMG 39829

Formado em 2004 pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF/MG.

Residência médica em cirurgia geral pelo Hospital Universitário da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF/MG em 2007.

Residência médica em cancerologia cirúrgica no Instituto Nacional de Câncer – INCA/MS/RJ em 2010.

Professor adjunto da disciplina de Cirurgia Geral II do curso de medicina da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora – Suprema/MG.

Preceptor da residência médica em cirurgia geral da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora – Suprema/MG.

Medico diarista na especialidade de Cirurgião Geral no Hospital de Pronto Socorro Mozart Teixeira de Juiz de Fora.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica – SBCO.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica e Robótica – SOBRACIL.

Membro adjunto do Colégio Brasileiro de Cirurgiões – CBC.

Acesse o Currículo Lattes aqui.

joao-fraga
João Baptista de P. Fraga

CRMMG 41718

Graduado em Medicina pela UFJF.

Residência em Cirurgia Geral pela Universidade de Mogi das Cruzes SP.

Residência em Coloproctologia  pelo Hospital Heliópolis SP.

Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Membro associado da Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica e Robótica – Sobracil.

Especialista em Coloproctologia pelo Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Médico diarista na especialidade de Cirurgião Geral no Hospital de Pronto Socorro Mozart Teixeira de Juiz de Fora.

Preceptor da residência médica em Cirurgia Geral da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora – Suprema/MG.

Acesse o Currículo Lattes aqui.

roberto-heleno-lopes
Roberto Heleno Lopes

CRMMG 39733

Formado em 2003 pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Residência Médica em Cirurgia Geral pela Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora de 2004 a 2005

Residência Médica em Cancerologia Cirúrgica pela Fundação Pio XII – Hospital de Câncer de Barretos em Barretos – SP de 2006 a 2008

Fellow em vídeocirurgia oncológica pela Fundação Pio XII – Hospital de Câncer de Barretos em Barretos – SP em 2009

Pós-graduação em Cirurgia Minimamente Invasiva pelo Instituto Jacques Perrisat – Universidade Positivo em Curitiba – PR em 2010.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica.

Member of European Society of Surgical Oncology.

Professor do curso de Medicina da Faculdade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC Juiz de Fora.

Preceptor da residência de cirurgia geral do Hospital Regional Dr. João Penido.

Preceptor da residência de cirurgia geral do Hospital Universitário de Juiz de Fora.

Acesse o Currículo Lattes aqui.

rommel2
Rómmel Ribeiro Lourenço Costa

CRMMG 51672

Graduado em 2010 pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF/MG.

Residência médica em Cirurgia Geral pela FHEMIG, junto ao Hospital Dr. João Penido em Juiz de Fora – MG.

Residência médica em Coloproctologia pelo Hospital Felício Rocho em Belo Horizonte – MG

Medico Coloproctologista e Colonoscopista pela clínica CLIGED em Juiz de Fora – MG

Membro da Sociedade Brasileira de Coloproctologia

Acesse o Currículo Lattes aqui.

 

Missão

Oferecer aos pacientes atendimento humanizado e tratamento cirúrgico de excelência nas especialidades de coloproctologia, cirurgia oncológica e cirurgia geral.

Visão

Tornar-se referência reconhecida no atendimento cirúrgico com foco na humanização, na ética e na inovação tecnológica.

Especialidades

01.Cirurgia oncológica

quatroA cirurgia oncológica é um dos tripés para o tratamento do câncer, ao lado da quimioterapia ou da radioterapia.

Essa especialidade médica muito antiga. As principais referências datam de 1600 A.C., estando isso documentado nos papiros de Edwin Smith. No entanto, uma verdadeira escola de Cirurgia Oncológica teve início no final do século XIX, com William Stuart Halsted, que idealizou uma cirurgia radical para o câncer de mama. Nessa cirurgia, removia-se toda a mama, os músculos peitorais e os gânglios linfáticos das axilas, trazendo transtornos estéticos, funcionais e psíquicos muito relevantes.

Este princípio ainda hoje se aplica a uma grande quantidade de outros tumores, tendo como base a remoção do tumor primário e dos linfáticos loco-regionais. No entanto, felizmente, progressos havidos na quimioterapia e radioterapia têm proporcionado resultados cada vez melhores e com cirurgias mais conservadoras.

A Cirurgia Oncológica é usada hoje no diagnóstico, estadiamento e tratamento de quase todos os tumores sólidos. Atualmente, o enfoque multidisciplinar de tratamento – que envolve a associação de diversas modalidades terapêuticas – gera melhores resultados, em termos de cura, sobrevida e, principalmente, de qualidade de vida. Existe uma quantidade grande de trabalhos científicos mostrando que pacientes tratados em centros de referência ou de competência multidisciplinar têm resultados superiores aqueles tratados em centrosisolados.

Cirurgião Oncologista

O grande diferencial de tratar o câncer com um cirurgião oncologista é que, pela sua formação, ele tem o conhecimento detalhado da história natural dos tumores, da importância do estadiamento do tumor, de se estabelecer o planejamento terapêutico e da atuação multidisciplinar de todas as equipes envolvidas no tratamento personalizado do paciente, em cada uma das etapas, para o sucesso do tratamento.

Para ser cirurgião oncologista no Brasil, são necessários cinco anos de residência médica após a graduação, sendo dois de cirurgia geral e mais três de cirurgia oncológica.”

(Fonte: AC Camargo Cancer Center)

Atualmente, a utilização da cirurgia minimamente invasiva para o tratamento dos diversos cânceres já está estabelecida como segura, eficaz e com resultados oncológicos satisfatórios. Contudo, deve ser realizada apenas por um cirurgião (e equipe) experiente.

02.Coloproctologia

joao-e-rommelA coloproctologia é umas das primeiras especialidades médicas que se tem conhecimento.
O coloproctologista é um cirurgião especializado em tratamentos cirúrgicos e clínicos das doenças dos intestinos delgado e grosso, reto e ânus.
O grande foco é na assistência de pacientes portadores de cânceres de cólon, reto e ânus; bem como doenças benignas desses sítios, como por exemplo doenças inflamatórias intestinais, tendo a doença de Crohn e Retocolite ulcerativa, como principais representantes; colites e enterites, fístulas anorretais, abscessos perianais, cistos pilonidais, hemorroidas, diverticulites, prolapsos retais, contipação intestinal e incontinência fecal.
Além disso, é também o coloproctologista o médico mais indicado para orientar sobre distúrbios na evacuação, prevenção do câncer de intestino e de doenças sexualmente transmissíveis.
E para isso lança mão de procedimentos como anuscopia, retossigmoidoscopia, manometria anorretal, ultrassonografia endorretal e a tão conhecida Colonoscopia.

03.Videocirurgia

equipe-surgeryChamamos de Cirurgia Minimamente Invasiva a cirurgia que não se utiliza dos grandes cortes que sempre caracterizaram um ato cirúrgico. Invadir de forma mínima, para nós cirurgiões, significa uma série de medidas para tornar a cirurgia menos traumática e o mais confortável possível para o paciente. Durante muito tempo, quando alguém precisava ser operado, não se sabia muito bem o que iria acontecer.Quantos dias de internação, qual a real possibilidade de complicações, quantas semanas ou até meses para se voltar a trabalhar ou ter de volta uma vida normal.

Nas últimas décadas, foram feitos grandes esforços justamente para melhorar a previsibilidade de uma cirurgia, diminuir suas chances de complicações e de sequelas e aumentar sua efetividade. Talvez o maior dos passos nesta direção tenha sido a adaptação da tecnologia do vídeo para a cirurgia, ou seja operar sem abrir, observando o que se passa dentro do corpo através da imagem captada por uma câmera e transmitida numa tela de TV.

Com isto, o cirurgião e seus auxiliares passaram a operar sem fixar os olhos diretamente no paciente, mas nesta tela da TV. Enquanto um auxiliar ou mesmo um robô se ocupa de movimentar a câmera, filmando a operação, o cirurgião manipula seus instrumentos que entram no corpo do doente por meio de mínimos cortes. As vezes até tão pequenos ,que nem precisam ser fechados com pontos, como na minilaparoscopia. Nasceu com este conceito a videocirurgia. Também chamada laparoscopia, ou como é conhecida ainda por muitos pacientes “a cirurgia dos furinhos” ou “a cirurgia a laser”.

Reconhecido como o pai do método, o professor francês Jacques Perissat empresta seu grandioso nome ao nosso Instituto.  Não se trata porém apenas de uma simples autorização de uso do nome. O próprio Professor, ainda vivo, nos considera hoje, o grupo de Curitiba, como os verdadeiros continuadores de sua obra. Aqueles com a real capacidade de desenvolver e ensinar a laparoscopia como ele sempre fez em sua vida profissional ativa.

Atualmente, a cirurgia minimamente invasiva se confunde com os métodos de vídeo cirurgia. Operar com o mínimo de cortes, o mais rápido possível, com a menor internação possível, causando o mínimo de dor ou praticamente dor alguma e quase sem afastar o paciente de sua rotina, de sua família e de seu trabalho. É por isto que existimos, pra transformar sua experiência de ser operado em algo o menos incômodo possível.Procurando aliar o máximo de eficiência, com o máximo de previsibilidade.

(FONTE: Instituto Jacques Perissat – Cirurgia Mini-Invasiva)

04.Cirurgia geral

equipe-surgeryCirurgia geral é a especialidade cuja área de atuação compreende: Cirurgia Abdominal, Cirurgia videolaparoscópica e Cirurgia do trauma. Esta especialidade médica ocupa-se do estudo dos mecanismo fisiopatológicos, diagnóstico e tratamento de enfermidades passíveis de abordagem por procedimentos cirúrgicos.

A residência médica em Cirurgia Geral é pré-requisito para várias outras especialidades cirúrgicas. Recentemente a Associação Médica Brasileira e o CFM reconheceram a Cirurgia Geral como especialidade e não apenas sendo pré-requisito para outras especialidades. Assim, atualmente o Cirurgião Geral é aquele habilitado e treinado para resolução das afecções cirúrgicas mais comuns, além de se dedicar à laparoscopia e a cirurgia do trauma.

(FONTE: Wikipédia)

É uma das especialidades médicas mais atuantes em nosso cotidiano, pois é pre-requisito para cancerologia cirúrgica, cirurgia cardiovascular, cirurgia de cabeça e pescoço, cirurgia do aparelho digestivo, cirurgia pediátrica, cirurgia plástica, cirurgia torácica, cirurgia vascular, coloproctologia e urologia.

(Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões)